Faça AQUI o teste de
Controlo da sua Asma

Tratamento

Entre 90% e 95% dos casos de asma podem ser facilmente controlados através da terapia adequada. Existem várias opções farmacológicas para o tratamento da asma que podem ser utilizados por três vias: inalatória, oral ou injetável. Preferencialmente, a escolha vai para os medicamentos inalatórios pela elevada eficácia e segurança associadas. 1

Para o controlo dos sintomas, o que se pretende é a utilização de fármacos que atuem na inflamação crónica das vias aéreas. Os corticosteroides inalados são extremamente eficazes na redução de sintomas, na melhoria da função pulmonar e na redução da frequência e gravidade das crises. Esta é a opção mais eficaz no tratamento da asma persistente, ainda que nem todos os asmáticos beneficiem da mesma forma. Por exemplo, há uma menor sensibilidade aos efeitos dos corticosteroides inalados em doentes asmáticos fumadores. 2

Outra das opções terapêuticas para o controlo dos sintomas da asma são os agonistas beta-2 de longa duração. Estes fármacos são muito eficazes, desde que sejam utilizados em associação com os corticosteroides inalados. Esta dupla terapêutica é até recomendada quando não se consegue o controlo dos sintomas com o tratamento apenas com corticosteroides inalados. Os modificadores dos leucotrienos são também eficazes no controlo da asma. Porém, têm um efeito inferior aos corticosteroides inalados. 2

Por sua vez, os fármacos para o alívio rápido são fundamentais para quando os doentes têm crises asmáticas. Os agonistas beta-2 de curta ação são recomendados para impedir a broncoconstrição, sendo administrados por via inalatória. Estes medicamentos podem ser também utilizados na prevenção da asma provocada pelo exercício ou ambientes propícios às crises asmáticas. Existem outras opções farmacêuticas, como os anti-colinérgicos e a teofilina, mas não são recomendados. A melhor opção é sem dúvida a utilização de agonistas beta-2 de curta ação. Existe ainda, mais recentemente, o recurso à termoplastia brônquica – primeiro tratamento não medicamentoso para a asma. Consiste na libertação de calor, por radiofrequência, no interior das vias aéreas com o recurso a um cateter brônquico. Ainda assim, lembre-se de que a automedicação é sempre desaconselhada. O asmático deve ser acompanhado por um médico, de preferência especializado em doenças do foro respiratório. 3

1 - Vaz MM. Acta Médica Portuguesa. 2011 2 - Vaz MM. Acta Médica Portuguesa. 2011 3 - Tiverdi A et al. The Lancet Respiratory Medicine. 2016. Vol4,No7. p585-592

PRT/AST/0002/17e Data de preparação: março 2017